feeling myself

"corre-me, nas veias, demasiada vida... e oprime-me a constante necessidade de me fazer vital... mas, aqui, agora, sei que este tempo incerto não me preenche e que, um dia, me vou deixar arrastar pelo cansaço conformista de quem se ilude numa realidade a que não pertence e que vai preenchendo com pedaços de ficções alheias...
um dia, talvez, esta vitalidade viciante me governe... ou me perca... porque não existe, para mim, meio termo, satisfação transitória..."